Prosa de homem

http://migre.me/40w7p


Sempre achei que uma mulher linda fosse como um poema. Em três partes: po-e-ma. A mulher, enquanto bela, única: “a-mu-lher”.

Do poema, o belo sobressai em verso, estrofe e ritmo. A mulher é a beleza por meio de “cor, forma e existência apenas”, em Pessoa.

O poema é a escrita que não se esgota denotativamente. É obra que se lê com o coração, e que nele repousa com cê de conotação. Como a bela mulher que sempre fica por onde passa. Permanece nítida no tempo e no espaço, e passa a correr nas veias.

Um poema é meticuloso. Deixa marcas pelos seus detalhes. Jamais se compreende toda complexidade da cadência, forma, conteúdo e sentido. A inspiração é reserva do poeta. Por sua vez, a linda mulher marca todos os homens com a ranhura de uma esperança que é “só a que eles não têm”. Abre o sulco do nume. Capaz de defletir o real pelo sublime. Só a mulher é o caminho da beleza marcada à imagem e semelhança da Verdade. É o arquétipo. Um arroubo do ego profano. E ignota é a inspiração da mente etérea.

O poema é trabalho humano delicado. É o que sobra na pedra lapidada. É simulacro. Divisa um sentido para a vida. A mulher realiza-o. Estabelece-se pelo zênite do que é belo. É a suficiente condição do fruir. Se o poeta se esforça, a mulher é. Se o poeta escreve, a mulher é. Se o poema exige beleza, a mulher é. E o poeta sofre. Ele está condenado a fingir. Sabe que a feminilidade do belo nunca se curvará à extensão de suas letras. Um poema será eternamente apenas um pouco de uma linda mulher. Fruir.

A. K. 

PS: texto escrito ano passado sob pseudônimo. Com revisões e alterações nesta terça-feira de Carnaval.

ps2: para receber as atualizações do Despertador no Facebook:http://www.facebook.com/ODespertador

Comentários

  1. Lindo texto, Romero. Me lembrou muito uma frase que li hoje mientras involucravame en mis investigaciones en la Biblioteca de Mujeres Francesca Bonnemaison: la historia la escriben los hombres pero la hacen las mujeres.
    Um beijo femenino.

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto, Romero. Me lembrou muito uma frase que li hoje mientras involucravame en mis investigaciones en la Biblioteca de Mujeres Francesca Bonnemaison: la historia la escriben los hombres pero la hacen las mujeres.
    Um beijo femenino.

    ResponderExcluir
  3. Que sensibilidade, Romero. "Só a mulher é o caminho da beleza marcada à imagem e semelhança da Verdade." Lindo...lindo...

    ResponderExcluir
  4. Belíssima homenagem. Emocionei...

    ResponderExcluir
  5. Como um carinho para alma...
    Romero, grata pela mensagem "inóbvia",rs.
    Cheiro,
    Paula Moraes.

    ResponderExcluir
  6. El grand Roma, quanta profundidade nesse blog que desperta-a-dor com beleza e poesia. Nas palavras escritas buscamos um pouco de alento para a vida, exercício constante para lapidar a alma. Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Romero, muito bem escrito, cheguei até seu blog pela Jandira (SV) e voltarei sempre.
    Parabéns pelo blog e como mulher obrigada pelo post.
    http://paravoceeufizassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Ô, Roma!, que lindo!!. Um poema e uma poesia são formas de expressão raríssimas que só os espíritos livres e generosos conseguem realizar com sucesso!!. Tão delicado de sua parte inserir essa temática, sobretudo declarando a nítida consciência de que poema tb é labor. Um labor artesanal que vc muito bem soube captar!!. Fico feliz por ser mulher e por me sentir contemplada neste poema tão generoso. Um grande abraço!
    Cecí.

    ResponderExcluir

Postar um comentário